Lesões pelo corpo pode ser a principal causa da morte de Marília Mendonça e a equipe

61

O politraumatismo contuso, lesões ou ferimentos distribuídos em várias partes do corpo causada por ação extremamente violenta, é a principal suspeita da causa da morte da cantora Marília Mendonça, sua equipe e a tripulação que estava com a artista quando o avião caiu na região da Serra de Caratinga, em Minas Gerais.

A informação foi revelada, neste sábado (6), pelo médico-legista Pedro Coelho, responsável pela necropsia na cidade de Caratinga, a 311 km de Belo Horizonte.

“Trata-se de lesões contusas em diversos órgãos vitais. A gente ainda não consegue determinar qual veio primeiro, mas são diversas lesões possivelmente letais”, explicou o especialista, que trabalhou na liberação dos corpos no IML (Instituto Médico-Legal).

Segundo o médico, o material biológico colhido das vítimas foi encaminhado para o IML de Belo Horizonte, que vai ficar responsável pela conclusão das análises laboratoriais, toxicológicas e de anatomia. A data de liberação do laudo não foi confirmada.

“Faltam apenas as análises do material biológico para tentar acrescentar alguma coisa ou anular qualquer outra situação que possa ter contribuído para as causas das mortes”, concluiu Pedro Coelho.

Segundo a Polícia Civil, quando as equipes de resgate chegaram ao local do acidente, todas as vítimas já estavam sem vida.

Os corpos das cinco vítimas já foram liberados. Marília Mendonça e o assessor e tio Abicieli Silveira Dias Filho serão sepultados ainda neste sábado (06), em Goiânia, capital de Goiás.

O produtor Henrique Ribeiro vai ser levado para Salvador, na Bahia. Já o piloto Geraldo Martins de Medeiros e o co-piloto, Tarciso Pessoa Viana serão velados em Brasília, no Distrito Federal.

As causas do acidente ainda são investigadas. Uma equipe do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), da FAB (Força Aérea Brasileira), foi para Piedade do Caratinga, a 243 km de Belo Horizonte, onde ocorreu a queda, para investigar o caso. A Polícia Civil também abriu um inquérito.

Já se sabe que a aeronave atingiu um fio de alta-tensão da Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) antes de cair.

 

*Informações do portal R7.