Morre Sthepany Rosa, a ‘bebada de Curitiba’

34

A curitibana Stephany Rosa da Silva, que ficou famosa na internet em 2012 como a “bêbada de Curitiba“, morreu nesta segunda-feira (13). Segundo jornais locais, a jovem de 30 anos lutava contra um câncer desde 2018.

Recentemente Stephany Rosa havia feito uma vaquinha virtual para custear parte de um tratamento alternativo contra a doença, que, segundo ela, seria menos doloroso. A vaquinha organizada para bancar seu tratamento tinha como meta juntar R$ 20 mil para um tratamento experimental no exterior, mas ela conseguiu R$ 121.748,71.

A confirmação da morte foi feita através de uma postagem da mãe dela, Nil Silva, nas redes sociais.

O velório será no cemitério Santa Cândida, em Curitiba. O sepultamento está previsto para às 11h desta terça-feira (14).

Em seu perfil no Facebook, amigos deixaram mensagens de condolências. “Sté que Deus te receba de braços abertos guerreira. Depois de anos lutando contra essa doença maldita, você ganhou o descanso. Saiba que você era muita amada por todos. Meus sentimentos aos familiares e amigos”, disse a internauta Andressa Lima.

“Que Deus te receba minha amiga! Não tô acreditando que essa doença te levou. Você descansou e viverá em nossos corações para sempre! Meus sentimentos a família e ao seu filho”, lamentou Mariana Gurgel.

Stephany era consultora de vendas da Mary Kay. Ela tinha câncer de ovário, descoberto já há dois anos. “É um câncer de ovário com características de câncer de intestino, mas só pela posição em que o tumor estava”, relatou ela em um vídeo publicado no perfil dela no YouTube. Ela ficou internada no Hospital Marcelino Champagnat.

A última postagem de Stephany nas redes sociais, feita em 6 de junho, falava sobre o tratamento alternativo. “Como a maioria de vocês já sabem, luto contra o câncer há quase 2 anos. E resisti em pedir ajuda financeira, mas agora, sem perspectiva de eficácia do tratamento na medicina tradicional, estou atrás de alguns recursos da medicina alternativa, bem como uma cuidadora e algumas outras coisas que estão descritas na vakinha”, dizia a postagem.

Fonte: Correio24horas

Vídeo da época